sábado, 1 de junho de 2013

MOMENTO DE FORMAÇÃO: GAUDIUM ET SPES


Jornal Online A VOZ DE LOURDES – Junho de 2013

UMA REFLEXÃO SOBRE A “GAUDIUM ET SPES”

No Natal de 1965, alguns dias após a proclamação conciliar do dia 07 de dezembro, Paulo VI afirmava na homilia: “O encontro da Igreja com o mundo atual foi descrito em páginas admiráveis na última Constituição do Concílio”.

Tais páginas da Constituição Conciliar, nos apresentam duas propostas fundamentais: Primeiro: Levar a Igreja de novo ao meio da vida contemporânea. Segundo: Assinalar os pontos de encontro entre Cristo e o homem moderno num mundo contemporâneo.

A origem da Gaudium et Spes vem de uma sugestão do Cardeal de Malines, na Bélgica, Leon Joseph Suenens. O documento foi aprovado na última sessão conciliar, no dia 06 de dezembro de 1965. Recebeu o nome de Constituição Pastoral sobre a Igreja no mundo de hoje.

A Gaudium et Spes pode ser vista a partir de algumas dimensões muito bem fundamentadas, que nos ajudam a ver, julgar e agir, analisando a nossa própria experiência e realidade: Algumas chaves de leituras para compreendermos a Gaudium et Spes.

DIMENSÃO DENUNCIANTE – “Nunca o gênero humano teve ao seu dispor tão grande abundância de riquezas, possibilidades e poderio econômico; e, no entanto, uma imensa parte dos habitantes da terra é atormentada pela fome e pela miséria, e inúmeros são ainda os analfabetos” (GS, n. 4).

DIMENSÃO DIALÓGICA – O bom diálogo brota de perguntas atentas e sábias. Somente consegue responder com profundidade que consegue formular perguntas pertinentes.

DIMENSÃO ANTROPOLOGICA – A Gaudium et Spes colocou a criatura humana no centro de suas atenções: “As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias do homem de hoje, dos pobres e de todos os que sofrem”.

DIMENSÃO CRISTOLÓGICA – Todas as partes que compõem o documento terminam com uma firmação, uma confissão ou uma súplica a Cristo. É uma cristologia bíblico-antropológico. A Gaudium et Spes soube colher os frutos de tantas sementes plantadas a partir das atividades de professores de Sagrada Escritura e de teologia a partir de 1945.

DIMENSÃO ECLESIOLÓGICA – A Gaudium et Spes nasce no húmus fértil de uma nova eclesiologia, que fala de sacerdócio comum dos fiéis, de uma universalidade do único “Povo de Deus” de índole missionária da Igreja e relação dos leigos com a hierarquia.

DIMENSÃO PASTORAL–COMUNITÁRIA – A Gaudium et Spes possui um olhar de compaixão como o do Bom Pastor. Compaixão não é dar coisas, mas é dar-se a si próprio, colocar-se a serviço, estar com o outro na hora da necessidade.

DIMENSÃO PROFÉTICA – O capítulo sobre a vida econômico-social traz uma veemente denúncia das contradições que regem a economia. Enquanto uma enorme multidão tem falta de coisas absolutamente necessárias, alguns vivem na opulência ou desperdiçando os bens.

Após esta rápida reflexão sobre a Gaudium et Spes, suscitamos algumas questões relevantes que merecem acolhida em nossa comunidade e área pastoral:

  1. Como abrir as “janelas do Vaticano aos novos ares” que se respiram nesse mundo completamente transformado?
  2. Como entrar em diálogo aberto com a ciência e o pensamento contemporâneo?
  3. Como reconhecer, simultaneamente, os avanços e os limites do progresso tecnológico e do crescimento econômico?
  4. Como inserir na área pastoral da Igreja os novos desafios e urgências: Sincretismo religioso? – Pluralismo cultural? – Ecumenismo e Missão? Nova Evangelização? Inculturação do Evangelho? Abertura e diálogo da Igreja com o homem contemporâneo?

Destaco no final dessa reflexão a partir da leitura da Gaudium et Spes, que o homem contemporâneo se encontra hoje numa fase nova de sua história, na qual mudanças profundas e rápidas se estendem progressivamente ao seu meio familiar, religioso, social, político, econômico e cultural. Tais mudanças, foram provocadas pela inteligência, pela atividade criadora, pelos juízos, pela razão do homem, onde seus desejos individuais e seu modo de pensar e agir, foram transformando a realidade de forma significativa.

Frei Laércio da Cruz Rodrigues, OAR.

Fonte: LOPES, Geraldo. Gaudium et Spes. Texto e comentário. São Paulo: Paulinas, 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário