sábado, 1 de junho de 2013

PALAVRA DO PÁROCO

Jornal Online A VOZ DE LOURDES – Junho de 2013

Uma Interrogação?
Palavra do Pároco: Frei Egisto Cansian, OAR

Hoje faço uma interrogação que venho meditando há algum tempo. Serve para mim e para você. Com a experiência de vida que os anos nos concedem, nem tudo ou quase nada fica claro em minha consciência.

Por que nós somos assim? Nem sempre ou quase nunca vamos ao encontro da verdade. Temos conhecimento prático e teórico, porém na realidade tomamos outra atitude.

Nós não somos nenhum pouco de fazer elogios, não somos gratos. Até que no coração sentimos o desejo de mostrar nossa gratidão, mas não nos expressamos publicamente. Aí alguém comenta uma critica nossa a outra pessoa (com posto maior), normalmente ela já vem dando a sentença, e já tememos  uma atitude de castigo. Uma, uma só pessoa fez o comentário, a crítica. Como todos os outros estão sempre calados, dá entender que tudo o que foi feito está errado.

Não seria mais interessante que ao invés de achar que é a única verdade verdadeira ir ao encontro de outras informações, descobrir o outro lado da história? Diante disso somos culpados também, porque admiramos e não sabemos expressar ou não queremos publicamente fazer os elogios. Daí muitas atitudes tomadas em nossa vida não são corretas, somos injustos por não ir ao encontro da verdade ou somos injustiçados.

O líder não existe para mandar, ele existe para modificar o ambiente em que vive, transformar para o bem comum e realizar o melhor para todos. Ele serve para orientar a todos nós que de uma forma ou outra vivemos fazendo condenações.

Antes de condenar alguém com seus pensamentos, lembre-se que você também tem defeitos e que a boca fala daquilo que o coração está cheio. Portanto, converse educadamente, chame e mostre às pessoas as suas responsabilidades porque elas podem e são capazes sempre de fazer o melhor. Que tal a reflexão?

Frei Egisto Cansian, OAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário