domingo, 4 de outubro de 2015

IGREJA MISSIONÁRIA


Evangelizar constitui a missão da Igreja, sua identidade e sua própria razão de ser. O Senhor Jesus dá aos seus discípulos a Igreja nascente, o mandato desta missão: “Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,19-20).

Ela existe para anunciar e ensinar, para ser a testemunha da graça, reconciliar a humanidade com o Pai misericordioso e perpetuar o sacrifício de Cristo na Santa Missa, memorial de sua morte e gloriosa ressurreição. A origem da missão da Igreja está na missão do Filho e do Espírito Santo, enviados pelo Pai ao mundo.

A atividade missionária da Igreja iniciou-se na madrugada do domingo de Páscoa, quando Maria Madalena e outras mulheres foram ao túmulo de Jesus e o encontraram vazio, porque Jesus havia ressuscitado( cf. Mc 16,6b-7). Maria Madalena correu ao encontro dos discípulos e lhes anunciou a notícia da ressurreição de Jesus. Em Pentecostes, começou a missão de anunciar o Reino de Deus a todos os povos da terra, missão que permanece até hoje. Após vinte séculos, existem ainda povos que não ouviram o anúncio de Jesus Cristo. Mesmo em nossas cidades existem pessoas, ambientes e culturas que não conhecem a Boa Nova.

Através da ação da Igreja, a Palavra de Deus se difunde no mundo. O Livro dos Atos dos Apóstolos narra a história das primeiras comunidades e a ação dos Apóstolos, principalmente dos apóstolos Pedro e Paulo. Nele se lê que a Palavra crescia e se multiplicava. Desejava, assim, anotar que cresciam e se multiplicavam os que ouviam a Palavra, acolhiam-na e tornavam-se discípulos de Jesus, ou cristãos.

Jesus é o missionário do Pai. A missão que ele confia aos seus discípulos é a sua mesma missão. É nele, pois, que o discípulo missionário tem a fonte permanente do seu ardor missionário e sabedoria profética para anunciar o Evangelho da vida. O encontro com Cristo Vivo, missionário do Pai, como experiência pessoal na comunidade de fé, alimenta o missionário e reaviva permanentemente o seu ardor.

Foi o que aconteceu com a Samaritana(cf. Jo 4,1-26) e com os discípulos(cf. Jo 1,19-51). A experiência do encontro com Cristo muda radicalmente a vida, como aconteceu com Zaqueu( cf. Lc 19,1-10) e Paulo(cf. At 9,1-22). É uma experiência única, muito bonita, que precisa ser comunicada, compartilhada.

Na Eucaristia, nós nos encontramos com Cristo de modo muito especial. Se a missão não for alimentada pela Eucaristia, ela perde sua identidade. Torna-se proselitismo, propaganda, coisa de mercado. A Eucaristia é também o objetivo profundo da missão: fazer com que todos se tornem discípulos de Jesus, realizando o encontro pessoal com ele e vivendo unidos com ele.

A missão e, para a Igreja, a causa das causas, o primeiro e mais importante serviço que ela presta ao ser humano. Nenhum membro da Igreja está dispensado da missão. Os pais, as famílias, os jovens, professores e operários, todos são missionários. Sobretudo as dioceses e as paróquias devem desenvolver uma ação planejada e preparar seus missionários com cuidado. Para atingir a todos, há que se criar comunidades de envio, de acolhida e de compromisso com a defesa da dignidade humana, a preservação da vida e salvação de todos.


Fonte: CNBB.- Sou Católico: Vivo minha fé. Brasília, Edições CNBB, 2007, p. 35-37.


Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Outubro 2015
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa - SP
Site da Paróquia
http://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário