segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

COTIDIANO: RIVALIDADE FRATERNA

"Rivalidade Fraterna: Amor e ódio entre irmãos"

Na segunda-feira, 18/11/2013, Mateus Solano e Paolla Oliveira protagonizaram uma cena forte e dramática que deixaria evidente o tema da rivalidade fraterna que, na novela “Amor à Vida”, chegou a níveis extremos.

De acordo com a Psicanálise, a expressão “rivalidade fraterna” refere-se a uma constelação complexa de sentimentos e suas causas. Este complexo de emoções tem a ver com irmãos e apresenta como fonte os anseios da criança com relação aos pais.

Quando a criança se sente menosprezada pelos pais (ou por um deles) acreditando que o irmão receba atenção especial, teme que os pais o rejeitem. Esse foi o caso de Félix que representa os espasmos da rivalidade fraterna sentindo-se desesperadamente marginalizado por seu pai. Assim, em razão desse sentimento, Paloma (sua irmã na trama) tornou-se um espinho em sua carne.

A questão da rivalidade fraterna surge em algumas histórias bíblicas como, por exemplo, Caim e Abel e José do Egito.

Na primeira, Caim mata Abel enciumado por Deus ter preferido as ofertas de seu irmão. Na segunda, José era o filho preferido de Jacó e esse favoritismo valeu-lhe o ódio dos irmãos que o venderam como escravo a mercadores.

O temor de que não se possa obter o amor e a consideração dos pais é o que inflama a rivalidade fraterna, pois, quando nascemos, nossos primeiros objetos de amor são nossos pais.

Essa relação de amor e ódio pode surgir entre os irmãos, pois, na imaginação infantil, o irmão aparece como um intruso que vem dividir (ou até roubar) o amor dos pais.

A rivalidade fraterna pode ser pensada como uma experiência normal que será superada dando lugar a uma relação de solidariedade, companheirismo e cumplicidade entre os irmãos. No entanto, quando não superada, pode causar prejuízos ao funcionamento familiar e até mesmo chegar a extremos.

Em “Amor à Vida”, Félix e Paloma romperam relações, deixando uma família horrorizada com as conseqüências de tanto ódio.

Na história bíblica de Esaú e Jacó que relata a rivalidade entre irmãos gêmeos, tendo a mãe no centro da disputa, temos a possibilidade de reconciliação dos irmãos que se concretiza.

Portanto, só resta saber se ao final de “Amor à Vida”, Félix e Paloma (como em Esaú e Jacó) se reconciliarão e a rivalidade finalmente, mesmo que tardiamente, seja superada.

Vanusa do Reis Coêlho Rodrigues

Vanusa Coêlho é graduada em Ciências Contábeis e Letras/Inglês. É Especialista em Neuro aprendizagem e em Psicopedagogia Clínica e institucional. É Personal Coach e Practitioner em Programação Neurolinguística. Possui MBA em Recursos Humanos; Certificação em Mediação PEI e Curso de aperfeiçoamento em TDA/TDAH.

Jornal Online “A Voz de Lourdes” - Dezembro 2013
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa - SP
Site da Paróquia: http://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário