quinta-feira, 1 de março de 2018

DÍZIMO E DIZIMISTAS

MENSAGEM DO DÍZIMO E DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES


1) O Dízimo revela-se um sistema divinamente inspirado de participação e cooperação dos fiéis na realidade concreta do Reino de Deus que acontece em cada comunidade paroquial. Por isso ele é justo e permite que cada um assuma a porção que lhe cabe na responsabilidade de todos, sem que ninguém fique sobrecarregado. O padre e demais agentes pastorais podem livremente realizar a missão de evangelizar, conduzir e animar o povo de Deus sem as amarras das urgências financeiras que poderiam imobilizar todo o apostolado na Igreja.

2) Uma comunidade tem, pelo menos, duas alternativas para alcançar a sua subsistência:

A primeira é estabelecendo taxas para os serviços sagrados, criando equipes de festas e eventos com a finalidade de arrecadar fundos, realizando bingos, rifas, quermesses, jantares e chás beneficentes. Dispendendo, enfim, toda a riqueza de seus recursos humanos e gastando tempo e talentos para poder viabilizar a obra de evangelização que é a sua finalidade essencial. Não é incomum acontecer que todos os recursos gerados desta forma, acabem sendo gastos nestas atividades meio, sem conseguir atingir o fim.

A segunda alternativa é assumir o Dízimo como uma Pastoral, levar os fiéis a uma clara consciência de sua corresponsabilidade na obra da evangelização, de tal forma que todos se sintam encorajados a contribuir.

Assim, a soma de todos os talentos, tempo e bens materiais partilhados na forma de dízimos e ofertas podem ser aplicados na essencial vocação e missão do ser igreja: congregar, celebrar, evangelizar!

3) Tornar-se dizimista é um ato revestido de consequências que vai alcançar toda a vida do cristão ao assumir essa opção de participação comunitária.

Vamos enumerar algumas:
– A primeira consequência é o enfoque novo do sentido de pertença que é trazido pelo compromisso concretamente assumido pela opção dizimal.
– A segunda consequência é a libertação experimentada pelo dizimista em relação a toda ganância e valorização excessiva do dinheiro. Afinal não é fácil para ninguém vencer o apego aos bens, o preconceito do mundo e “abrir mão” de uma parte considerável dos seus rendimentos.
– A terceira consequência é adquirir a clara consciência de que todos os bens tem sua origem em Deus e que o seu bom uso promove uma revolução nas leis aritméticas: o dizimista percebe claramente que realiza agora mais com noventa do que antes conseguia com cem.
– A quarta é a clareza nítida de que o Dízimo não é uma moeda de troca: dar alguma coisa para receber outra em dobro. Não, ser dizimista é ser alguém que adquire consciência de seu papel na comunidade de irmãos: É responsável, é consciente, é consequente, nada desperdiça, faz bom uso dos bens materiais e espirituais, sente-se parte de um corpo e coopera com o corpo todo, sabendo que o bem dos outros é o seu próprio bem.

Para ele, prosperar corresponde a avançar no caminho da fé e não acumular patrimônio e saldo bancário. Compreende que o real sentido da existência experimenta-se na comunhão. Comunhão com Deus, consigo próprio, com a família e entre os irmãos na comunidade onde pode partilhar-se e tomar parte, integrado, feliz, bem-aventurado!


DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES EM MARÇO

Antonia Raimundo de Sousa
Carla Patricia da Silva Lima
Carmella Gattir Chiarella
Claudio Rodrigues
Evani Pereira da Cunha
Glaucia M.S.Bezerra
Iolanda Maria Rocha Guillamon
José Celoti
Leonardo Ganzer
Madalena Mª dos Santos Portes Vieira
Maria Adélia Santucci
Maria Celina Pedro Zanatta
Maria de Lourdes Pereira Ledo
Nelson Medeiros da Silva
Raquel Rodrigues Coimbra Borges
Ricardo Lima de Paula
Romildo Luchetta
Sueli Aparecida Torres
Tadeu Cendon Ferreira
Victorio Carnelo

FELIZ ANIVERSÁRIO!!!


Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Março de 2018
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa – SP
Site da Paróquiahttp://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário