quarta-feira, 5 de março de 2014

ACONTECEU NA IGREJA

PAPA ORGANIZA NOVA ESTRUTURA DE GESTÃO ECONÔMICA

Por meio do Motu Proprio Fidelis dispensator et prudens, o papa Francisco constituiu uma nova estrutura de gerenciamento econômico da Santa Sé e do Vaticano. A Secretaria para a Economia terá o atual arcebispo de Sidney (Austrália), cardeal George Pell, como dirigente.

A expressão Fidelis dispensator et prudens pode ser traduzida como “gerente fiel e prudente”. Para o papa, no texto do Motu Proprio, o administrador “tem a tarefa de cuidar atentamente daquilo que lhe foi confiado, assim a Igreja tem consciência da responsabilidade de tutelar e gerir com atenção os próprios bens, à luz da sua missão de evangelização e com particular solicitude para com os necessitados."

De acordo com o diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, padre Federico Lombardi, em entrevista à Rádio Vaticano, o novo organismo é a autoridade sobre todas as atividades econômicas e administrativas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. “Uma instituição forte, que coordena toda esta dimensão da realidade operativa dentro da Santa Sé e da Cidade do Vaticano: prepara os balanços, publica os balanços e responde a um Conselho”. O conselho é composto por 15 membros, sendo oito eclesiásticos (cardeais ou bispos) e sete leigos especialistas em problemas econômicos e financeiros.

Outra instituição é o Setor do Revisor Geral que tem a incumbência de executar as tarefas de revisão nos balanços e situações econômicas.

Algumas funções e estruturas permanecem sem alteração, como a Autoridade de Informação Financeira (AIF), instituição autônoma em relação às outras, responsável por colaborar com as unidades de informação financeira de outros Estados.

No que se refere ao combate à lavagem de dinheiro; a Administração do Patrimônio da Sé Apostólica (Aspa), com a função reiterada de Banco Centro para o Estado da Cidade do Vaticano e o Instituto para as Obras de Religião (IOR), que, segundo Lombardi, continua sendo objeto de estudo e reflexão, mas é apenas uma pequena parte dentro do horizonte mais amplo “que diz respeito às dimensões econômicas e administrativas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano em seu conjunto”.


PRIMEIRO CONSISTÓRIO DO PAPA FRANCISCO CONTOU COM A PRESENÇA DO PAPA EMÉRITO BENTO XVI

O primeiro Consistório do Papa Francisco contou com a presença do Papa emérito Bento XVI sentado entre os cardeais.

A imagem de Francisco saudando Bento é daquelas que ficarão para a história. Dois homens generosos, humildes e simples, essenciais para este período da Igreja.

O arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani João Tempesta junto com outros 18 bispos foram criados cardeais na cerimônia que aconteceu no dia 22 de fevereiro, na Basílica de São Pedro.

Consistório, “sentar juntos”, é uma assembleia de Cardeais, presidida pelo Papa, para tratar de assuntos da Igreja. Participam do consistório os Cardeais e aqueles que já foram anunciados cardeais. Estes são os assessores imediatos do Papa, seus conselheiros.

Durante o Consistório serão aprofundadas a teologia e a pastoral da família, que deve ser implementada no contexto atual.  O Papa Francisco pediu aos cardeais que ajudem a refletir sobre a realidade da família com profundidade sem cair na “casuística”. “Hoje, a família é desprezada, é maltratada, pelo que nos é pedido para reconhecermos como é belo, verdadeiro e bom formar uma família, ser família hoje; reconhecermos como isso é indispensável para a vida do mundo, para o futuro da humanidade”, afirmou Francisco.

Nos dias 20 e 21 de fevereiro de 2014, o Papa e os Cardeais refletiram sobre temas relacionados à família, “que é a célula fundamental da sociedade humana”. “Ajudemos os esposos a viverem com alegria ao longo dos seus dias, acompanhando-os no meio de tantas dificuldades, com uma pastoral inteligente, corajosa e permeada de amor”, exortou o Papa.

As reflexões sobre a realidade da família neste Consistório incluem-se na preparação do próximo Sínodo dos Bispos, que será realizado, de 5 a 19 de outubro de 2014, durante o qual serão abordados os desafios pastorais da família, no contexto da evangelização.

CNBB

Papa nomeia bispos brasileiros para Conselho do Vaticano
O prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, cardeal João Braz de Aviz e o arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), dom Orani João Tempesta foram nomeados pelo papa Francisco para o Pontifício Conselho para os Leigos.
O papa também nomeou alguns consultores do Conselho para os Leigos, entre eles, o arcebispo de Belém (PA), dom Alberto Taveira Corrêa e frei Hans Stapel, fundador e presidente da Associação Internacional de Fiéis - Família da Esperança. As nomeações foram feitas nesta quinta-feira, 6. Na foto, dom João Braz, dom Alberto e dom Orani.
Irão integrar o Conselho, outros cardeais indicados pelo papa, entre os quais o arcebispo de Viena (Áustria), ChristophSchoborn, o de Milão (Itália), Angelo Scola, o de Nairóbi (Quênia), John Njue, o de Munique (Alemanha), Reinhard Marx, de Manila (Filipinas), Luis Antônio Tagle.
O Pontifício Conselho para os Leigos colabora com o papa nas questões voltadas a atuação dos leigos que atuam na missão da Igreja, seja meio de organismos ou de forma individual. A proposta de criação deste conselho teve como base as indicações do decreto do Concílio Vaticano II sobre o apostolado dos leigos: Apostolicam Actuositatem, n. 26. Em 6 de janeiro de 1967 foi aprovada a instalação do órgão pelo papa Paulo VI.




Jornal Online “A Voz de Lourdes” - Março 2014
Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval Neves
Responsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa - SP
Site da Paróquia: http://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário