quinta-feira, 8 de setembro de 2016

REFLETINDO COM SANTO AGOSTINHO

COMENTÁRIOS AOS SALMOS


Qual deverá ser nosso anseio de cada dia? Planejar sempre o melhor, mas sem nunca se cansar de planejá-lo. Por muito longe que tenhamos chegado, o ideal encontra-se sempre mais além. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 38,4)

O desejo é como a sede da alma. Tem sede, mas de água limpa e pura, não de água suja e lodosa. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 65,5)

Não basta fazer coisas boas. É preciso fazê-las bem. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 118,12,2)

O homem pode libertar-se de tudo, menos de sua consciência. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 302,1,8)  

Faze o que deve fazer, e faze-o bem. Esta é a única norma para alcançar a perfeição. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 34, 2,16)

Todo amor ou sobe ou desce. Pois, os bons desejos nos elevam a Deus e os maus nos precipitam no abismo. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 122, 1)

O ânimo avança pelo desejo do bem cobiçado, e não pela alegria do que já conseguiu. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 39,3)

Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 130,12)

Quando lês a Bíblia, Deus te fala, quando rezas, tu falas a Deus. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 85,7)

A verdade não é minha nem tua, para que possa ser tua e minha. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 103,2,11) 

Que não pense o mau que não há ninguém bom. E que o bom não pense que só ele o é. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 25,2,5)

Ouça primeiro aquele que fala dentro e a partir de dentro, depois fale aos que estão fora. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos139,15)

A voz da verdade jamais emudece. Não grita com os lábios, porém murmura dentro do coração. Utiliza o ouvido interno! (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 57,2)

Um coração desnorteado é uma fábrica de fantasmas. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 80,14)

Todo amor tem a sua força e não existe amor ocioso. Ele arrasta sem remédio. Queres sabe qual é o teu amor? Olha para ver para onde ele te conduz. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 121,1)

Não nos entretenhamos com os deleites do passado, nem nos deixemos apanhar pelas provocações do presente, não imitemos à serpente que fecha seus ouvidos com a cauda. Nenhuma coisa do passado deve impedir-nos permanecer à escuta do presente, como também nenhuma coisa do presente impedir-nos de pensar no futuro. Devemos caminhar com decisão rumo àquilo que nos espera. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 66,10)

Para nada serve “saber” a verdade, se, ao mesmo, ela não “se associa” à vida. É necessário, edificar sobre a rocha, não sobre a areia. É necessário não só “ouvir”, mas também “agir”. Aquele que escuta, e não age, está edificando sobre areia. Aquele que nem escuta nem age, nada edifica. Aquele que não só “escuta” mas também “age”, esse tal está edificando sobre a rocha. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 57,25)

Não é livre o que trabalha pelo medo do castigo, mas o que trabalha por amor à justiça. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 26,15)

Enquanto não nos contentamos em ter o necessário, continuamos empenhados em buscar o supérfluo. Nada é suficiente para quem não pôs limite em seus caprichos. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 147,12)

Os degraus são os afetos, o caminho é tua vontade. Amando sobes, negligenciando desces. Se amas a Deus, está no céu, mesmo habitando na terra. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 85,6)

Morre-se por falta de pão. Mas também se morre por excesso de pão. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 33,2,15)

Quanta riqueza guarda o homem em seu interior. Porém, de que lhe serve se não se busca e investiga. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 76,9)

Fica seguro: Deus não te abandona a não ser que tu o abandones primeiro. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 145,9)

Do mesmo modo que escolhes cuidadosamente o que hás de comer, também deves escolher cuidadosamente aquilo que vais ensinar. O que tu ensinas é o alimento daquele que te ouve. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 51,10)


Necessitamos dos outros para sermos nós mesmos. (Santo Agostinho, Comentário aos Salmos 125,13)


Jornal Online “A Voz de Lourdes” – Setembro de 2016Compilação e Edição: Sérgio Bonadiman - Revisão e Publicação: Dermeval NevesResponsabilidade: PASCOM Paróquia Nossa Senhora de Lourdes - Vila Hamburguesa - SPSite da Paróquiahttp://www.pnslourdes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário